Primeiros passos do Turismo na França pós desconfinamento

A- A+

O Turismo é um dos principais setores a movimentar a economia na França: só ele corresponde a cerca de 9% do PIB nacional francês, gerando cerca de 2 milhões de empregos diretos e indiretos no país. Contudo, não por acaso, foi também o Turismo um dos setores mais atingidos pela pandemia da Covid-19 na França e no mundo.

Para amenizar os efeitos da crise sobre o setor, o Estado francês recentemente anunciou um plano de recuperação para o Turismo, o Plan Relance Tourisme. A ideia é investir cerca de 1,35 bilhões de euros no setor. Tal quantia vem completar os quatro milhões de urgência que já haviam sido desbloqueados sob a forma de empréstimos garantidos pelo Estado (PGE) aos franceses do Turismo. 

O objetivo do Plan Relance Tourisme é dar suporte àqueles que eventualmente não conseguiram cumprir com todos os critérios de elegibilidade para receber o PGE. Este plano, à diferença do PGE, não trata, portanto, de acordar créditos somente às empresas de turismo, mas atende, por um investimento direto, aos mais diversos prestadores de serviço da área.

É importante lembrar também que, desde 11 de maio de 2020, os franceses já haviam iniciado seu processo de desconfinamento, o qual segue, no momento, em sua segunda etapa: a de reabertura dos cafés, restaurantes, museus e monumentos, bem como dos deslocamentos não mais limitados a 100 km de distância do domicílio (embora as fronteiras internacionais continuem restritas até, no mínimo, 15 de junho). O processo que começou em 2 de junho deve se estender ainda por mais três semanas a partir desta data. 

É importante lembrar, no entanto, quando falamos em desconfinamento, que, na França, tal medida só foi liberada após altos índices de isolamento social da parte da população francesa: no último dia de confinamento, em 10 de maio, os franceses registraram 70 mortes em 24 horas no país, sendo que, um mês antes, em 10 de abril, o número de mortes em 24 horas era de 654. 

Outra medida interessante adotada pelos franceses diz respeito ao vale refeição dos trabalhadores, que teve seu valor dobrado para 38 euros até o fim de 2020, incluindo finais de semana e feriados,  para motivar os cidadãos a retomarem o hábito de comer fora, em cafés, bares e restaurantes.

E as boas notícias vindas da França não param por aí: a previsão é de que os franceses possam aproveitar o verão ainda em 2020, pois eles serão liberados para viajar em férias a partir de julho e agosto, segundo o que disse o primeiro ministro francês, Édouard Phillipe. 

Os franceses poderão se deslocar apenas dentro dos limites do Hexágono, e por isso as férias deste ano devem ser 100% francesas. Viajar? Só se for pela França! O que já é ótimo para quem, durante o confinamento, não podia nem mesmo se deslocar para além de um quilômetro de distância ao redor do seu domicílio, por apenas uma hora e sempre acompanhado de um atestado que informasse o motivo de sua saída, não é mesmo? 

No entanto, ainda é cedo para dizer quando as viagens ao exterior, sobretudo aquelas para fora do espaço Schengen, poderão ocorrer. De todo modo, seguiremos acompanhando as novidades que dizem respeito ao Turismo na França com grande otimismo!

Assim que tudo voltar ao normal, tenho certeza que você vai querer viajar para a França, e se for a sua primeira vez, não fique preocupado, acompanhe nossas dicas para quem vai à cidade luz pela primeira vez

 

Comentários