Três filmes que dialogam com a Queda da Bastilha

A- A+

Sabemos que a Queda da Bastilha foi um dos eventos mais simbólicos da Revolução Francesa. O episódio, além das implicações que gerou para a França, incentivou revoltas libertárias em vários lugares do mundo e marcou, historicamente, a passagem da Idade Moderna para a Idade Contemporânea.

No dia 14 de Julho de 1789, a população parisiense foi às ruas e investiu contra a fortificação na qual Luís XVI, o rei soberano, mantinha prisioneiros a seu critério e sem julgamento. A agitação popular, nesse momento incentivada pela burguesia, revelou que o poder do monarca já não era mais incontestável e representou, assim, um ataque direto e decisivo à Monarquia Absoluta, que ia ruindo.

Se esse assunto te interessa, anote aí as nossas sugestões de filmes que, contando a história por diferentes perspectivas e com diferentes interpretações, dialogam tanto com a Revolução Francesa, em geral, quanto com a Queda da Bastilha, em particular.

1º Um filme ousado: Maria Antonieta (2006)

Misturando, ao enredo que se passa século XVIII, elementos modernos – a trilha sonora, por exemplo, conta com The Cure e The Strokes – , a diretora Sofia Coppola traz à cena a rainha Maria Antonieta, esposa do rei Luís XVI. 

No período pré-revolucionário, em que a França vivia misérias de diversas ordens e a insatisfação popular crescia cada vez mais, a rainha ficou conhecida por promover, no Palácio de Versalhes, bailes grandes e extravagantes.

O filme, porém, contando a história de Maria Antonieta em paralelo com o início da Revolução Francesa, direciona um olhar mais sensível para essa mulher. A rainha, que aos 15 anos abandonou a Áustria para se casar com o rei francês, sofreu muito para se adaptar ao novo ambiente e, diante de todas os seus descontentamentos na vida, se esbaldou no luxo que estava à sua disposição.

filme Maria Antonieta

2. Um filme clássico: Danton (1983)

Com direção de Andrzej Wajda e roteiro de Jean Claude Carrière, Danton – O Processo da Revolução levou vários prêmios, como, por exemplo, o BAFTA e o César. Para além de pintar um quadro histórico, o filme reflete sobre a contradição entre os ideais que incitaram os primeiros revolucionários e a imposição intransigente que se realizou depois.

O enredo se passa em 1794, período em que a Revolução Francesa vivia a fase do Terror. Danton, que havia sido um líder importante dos primórdios do movimento revolucionário, retorna à Paris e encontra uma liderança violenta e uma sociedade marcada pelo medo.

O protagonista percebe que os ideais iluministas de igualdade, fraternidade e liberdade já não norteavam mais a Revolução e, assim, questiona e entra em embate com Robespierre, grande líder do momento. 

filme Danton

3. Um filme intenso: Adeus Minha Rainha (2013)

Sim, a rainha Maria Antonieta está de volta! Neste longa dirigido por Benoît Jacquot e disponível na plataforma de streaming Prime Video, da Amazon, acompanhamos a repercussão da notícia da Queda da Bastilha dentro dos limites do Palácio de Versalhes.

Num cenário em que nobres assustados tentam, cada um por si, se proteger diante da insatisfação popular projetada em Paris, Sidonie Laborde, criada da rainha, nos apresenta uma Maria Antonieta emocionalmente complexa e que mantém um caso com a duquesa Gabrielle. 

filme Adeus, Minha Rainha

Ficou curioso? Então, entre no clima dos 231 anos da Queda da Bastilha, pegue a sua pipoca e separe algumas horinhas para assistir a um dos filmes sugeridos.

Quer entender mais sobre a Queda da Bastilha? Acompanhe o artigo do Curso de Francês Online e entenda mais sobre a origem e a importância da data para os franceses.

Comentários