O Art Nouveau em Paris

A- A+

Conhecido por sua exuberância e fantasia, o Art Nouveau é um movimento artístico, ao mesmo tempo, surpreendente e efêmero (aproximadamente de 1890 a 1910). Vinte anos ao longo dos quais gênios da arquitetura concorreram em criatividade para realizar todo tipo de imóveis, hotéis particulares e edifícios públicos.

Em Paris, o surgimento do Art Nouveau se deu após 30 anos de uma legislação rigorosa que regulamentava a construção de imóveis privados parisienses (os chamados Haussmanniens).

Uma uniformidade que abafou a imaginação dos artistas, que voltaria a ser exaltada com o afrouxamento na regulamentação para construção de novos edifícios em 1882.

O Art Nouveau é extremamente presente em Paris, principalmente no 16º arrondissement, onde há cerca de 400 edifícios advindos desse movimento. Você também vai encontrá-los espalhados por toda a capital, para serem descobertos de acordo com suas diferentes visitas à Paris.

Abaixo estão alguns dos edifícios do Art Nouveau mais emblemáticos de Paris.

  1. Castel Béranger – Rua la Fontaine,14, 16º arrondissement

Considerado o edifício fundador do movimento Art Nouveau, o Castel Béranger revolucionou a arquitetura pela utilização e mistura de materiais novos como o ferro fundido, o metal, a pedra de moinho, e sua decoração original.

A fachada do imóvel ganhou em 1898, o primeiro lugar do concurso de fachadas da cidade de Paris.

  1. Rua Vavin, 26, 6º arrondissement

Construído por Henri Sauvage e Ch. Sarazin em 1912, um momento crucial para o arquiteto que gradualmente abandonaria o Art Nouveau. O prédio da rua Vavin é a primeira construção parisiense em terraço, habitação coletiva que oferece a claridade do sol e uma ventilação ampliada em cada apartamento.

  1. Rua Réaumur, 124, 2º arrondissement

A rua Réaumur foi no início do século 20 um verdadeiro laboratório do urbanismo parisiense pós-Haussmann depois das novas regulamentações de 1882, 1884 e 1902. Entre as dezenas de edifícios excepcionais que marcam a rua, se encontra no nº 124 um prédio característico das construções industriais do Art Nouveau.

Seus elementos mais originais são a estrutura em aço aparente, as janelas de arco suspensas no 4º andar e também os tijolos à mostra no 5º andar.

  1. Rua d’Abbeville, 14, 10º arrondissement

Este edifício de seis andares e de concepção geral simples em pedra e tijolo é, acima de tudo, excepcional por sua fachada, decorada em abundância com uma vegetação exuberante e vinhas na parte central dos três primeiros andares, seguido por morcegos e figuras fantásticas ao redor da loggia do 4º andar.

Obra dos arquitetos Albert et Edouart Autant (pai e filho), em 1901, a cerâmica foi feita por Alexandre Bigot, grande ceramista e decorador de vários edifícios do Art Nouveau em Paris.

  1. Avenida Rapp, 29 – edifício Lavirotte, 7º arrondissement

O número 29 da avenida Rapp, também chamado de edifício Lavirotte, é talvez o mais excêntrico e fantasioso edifício do Art Nouveau em Paris.

Arquitetura irregular e assimétrica, catálogo de modelos de todos os tipos (flores, animais, motivos), tudo o que é possível de se imaginar para uma fachada está presente neste edifício. Isso sem mencionar a porta de entrada, representação sugestiva de um órgão sexual masculino.

Imóvel vencedor do concurso de fachadas da cidade de Paris em 1901.

  1. Rua Belliard,185, 18º arrondissement

No 18º arrondissement, em frente à antiga linha ferroviária da Petite Ceinture, se encontra um edifício original construído pelo arquiteto Henri Deneux para seu próprio uso. Ele morou no último andar do edifício e alugou todos os outros apartamentos.

A arquitetura utiliza um sistema de tijolos enfileirados como a Igreja Saint-Jean de Montmartre, e a fachada é revestida de placas de arenito coloridas que deixam aparecer sua estrutura em concreto

Apenas suas rigorosas linhas retas distanciam este edifício da estética habitualmente curvilínea do Art Nouveau.

Quer descobrir mais sobre a Cidade Luz? Confira as outras dicas!

Está em São Paulo e quer se aproximar da cultura francesa? Venha conhecer o IFESP!

Comentários