Aprenda os provérbios e expressões francesas mais engraçados! (1/2)

A- A+

(TV 5 Monde: Découvrir le Français <https://langue-francaise.tv5monde.com/decouvrir/voyager-en-francais/les-expressions-imagees-darchibald/les-expressions-francaises>)

Você gosta de expressões metafóricas e quer aprender vocabulário francês avançado? Aproveite esse artigo para aprender expressões e provérbios franceses muito engraçados para impressionar seus amigos franceses!

Fumer comme un pompier = fumar como um bombeiro: fumar muito.

Qui sème le vent recolte la tempête = quem semeia vento, colhe tempestade: cada um merece o que provocou.

Être à côté de ses pompes/ être à l’ouest = estar ao lado dos seus sapatos/ estar a oeste: estar totalmente errado.

Se mettre sur son 31 = colocar-se no seu 31: vestir-se muito bem.

Être au pied du mur = estar embaixo da parede: Não poder errar mais.

Avoir plusieurs cordes à son arc = ter várias cordas no seu arco: ter várias maneiras/possibilidades para alcançar um objetivo.

Il pleut des cordes = chove cordas (“chover canivete”): chove bastante.

Être au bout du rouleau = estar na ponta do rolo: não aguentar mais uma situação, os problemas da vida

Enfoncer le clou = pregar o prego: insistir

Jeter l’argent par les fenêtres = jogar o dinheiro pelas janelas: gastar dinheiro estupidamente

Ne pas être dans son assiette = não estar no seu prato: não estar em forma

Ne pas avoir inventé l’eau chaude = não ter inventado a água quente: ser muito burro

Se prendre un râteau = pegar um ancinho: pedir para sair/ficar com um menino/uma menina, e ele/ela responder não

Péter un plomb = quebrar um chumbo: ficar muito bravo/louco

Gonfler, souler quelqu´un = encher, embebedar alguém: atrapalhar muito alguém

Pisser dans un violon = urinar em um violino: fazer algo que não adianta, perder o seu tempo

Mordre la poussière = morder a poeira: estar em uma situação muito desfavorável , perder

Tirer sur une ambulance = disparar em uma ambulância: falar mal de alguém que já está em dificuldade, que não precisa disso mesmo

Au royaume des aveugles, le borgne est roi = no reino dos cegos, o caolho é o rei: alguém mediano parece excelente perto de pessoas muito piores. (“em terra de cego, quem tem olho é rei”)

Pas de fumée sans feu = não tem fumaça sem fogo: tudo que acontece foi provocado/teve um motivo

Ne pas être sorti de l’auberge = não estar fora da albergue: vai demorar para resolver uma situação chata

Être fleur bleue = ser flor azul: ser muito ingênuo, sentimental

L’argent n’a pas d’odeur = o dinheiro não tem cheiro: qualquer dinheiro é bom para receber, não importa como você fez para obtê-lo

Broyer du noir = moer preto: estar muito triste, deprimido

Tomber de haut = cair de alto: ficar sabendo de algo que deixa incrédulo, que decepciona

Ça ne vole pas haut = não voa muito alto: se diz de um nível de conversa muito pobre, sem nenhuma inteligência

Les chiens ne font pas des chats = cachorros não fazem gatos: os filhos são como os pais (“filho de peixe, peixinho é”)

Être l’avocat du diable = ser o advogado do diabo: defender voluntariamente uma causa ruim

Être blanc comme neige = ser branco como neve: ser inocente

Filer du mauvais coton = fiar algodão ruim: estar fazendo coisas ruins

Faire d’une pierre deux coups = fazer de uma pedra dois lances: fazer duas coisas em uma só ação (“matar dois coelhos com uma cajadada só”)

La goutte d’eau qui fait déborder le vase = a gota de água que faz transbordar o vaso : foi a gota d’água

Ce n’est pas la mer à boire = não é o mar para beber : não é muito difícil

Ne pas y aller avec le dos de la cuillère/de main morte/ne pas faire dans la dentelle/ne pas mettre de gants = não ir com a parte de trás da colher/de mão morta/não fazer na renda /não colocar luvas : fazer algo sem nenhuma delicadeza

Passer à la casserole = passar à frigideira: transar

Une tempête dans un verre d’eau = uma tempestade em copo d’água: dar muita importância para algo ou uma situação que não vale a pena

Il n’y a pas photo = não tem foto: não tem como comparar

De l’eau a coulé sous les ponts = água escorreu debaixo das pontes: o tempo voou e muitas coisas mudaram

Tirer toute la couverture = puxar o cobertor inteiro: reivindicar todos os benefícios de algo para si próprio

Tourner autour du pot = girar em torno do pote: demorar para dizer a verdade, não dizer as coisas como elas são

Faire marcher = fazer andar: brincar, zoar

Faire chanter = fazer cantar: fazer chantagem

S’en foutre comme de l´an 40 = não ligar como se fosse o ano 40 (1940): não ligar nem um pouquinho

Rayer de la carte = tirar do mapa: eliminar

Se ressembler comme deux gouttes d’eau/être le portrait tout craché = ser parecido como duas gotas d’ água/ser o retrato cuspido: ser muito parecido com alguém

Ne pas voir quelqu’un (en peinture), ne pas sentir quelqu´un = não poder ver alguém (em pintura)/não poder sentir alguém: odiar alguém (“não querer ver alguém nem pintado de ouro”)

Filer à l’anglaise = sair à inglesa: sair à francesa

Ne pas être né de la dernière pluie = Não ter nascido na chuva passada : ter muita experiência, não ser ingênuo/ facilmente influenciável

Avoir été bercé trop près du mur/il lui manque une case = ter sido acarinhado muito perto da parede/ lhe falta uma casa (buraco de botão): ser muito estúpido

Les cordonniers sont les plus mal chaussés = os sapateiros são os que têm os piores sapatos: paradoxalmente, as pessoas fazem bem as coisas para os outros, mas não para elas (“em casa de ferreiro, o espeto é de pau”)

C’est l’hôpital qui se moque de la charité = é o hospital que fica rindo da caridade: alguém repreende uma pessoa, mas faz a mesma coisa que ela (“é o sujo falando do mal lavado”).

L’habit ne fait pas le moine = o hábito não faz o monge: não se deixa enganar pelas aparências

Ce n’est pas rigolo ?!

Quer aprender mais expressões através de atividades interativas, quizes, videoaulas, dicas de pronúncia e curiosidades? Conheça a metodologia do Curso de Francês Online. Plataforma virtual do Grupo IFESP.

Não sabe seu nível? Faça já o teste de nível de francês do IFESP, o melhor instituto de francês no Brasil.

Comentários