3 mulheres francesas que impactaram o mundo

A- A+

Foi na França, na época da revolução francesa, que as mulheres começaram a se impor perante uma sociedade que aparentemente enxergava só os homens.

Um grande exemplo disso foi a reação das mulheres ao grande documento da revolução: a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, de 1789. Olympe de Gouges, em resposta, escreveu a Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã que, até hoje, é considerado o primeiro documento feminista.

Até o século XIX, as mulheres não tinham os mesmos direitos que os homens, como: estudar, ler e trabalhar. Ter acesso ao conhecimento era algo reservado somente aos homens.

Virginia Woolf, em seu livro Um teto todo seu, ressalta que a realidade era bem mais complicada do que parecia. Além das mulheres não poderem ser escritoras, elas também não tinham meios para poderem exercer tal profissão, uma vez não podiam trabalhar e dependiam do dinheiro do marido.

Mulheres que gostavam de ler eram consideradas “fantasiosas” demais. Um grande exemplo disso é Madame Bovary, de Charles Flaubert. Emma, personagem principal do livro, trai seu marido diversas vezes, por acreditar que deveria ter um amor como aquele que encontrava nos livros. O livro mostra o pensamento da época: dar acesso à literatura às mulheres é estimular suas inconsequências.

Diante disso, enumeramos algumas mulheres francesas importantes, que revolucionaram a história das mulheres na França e no mundo.

 

1. Coco Chanel

Coco Channel, sendo uma mulher forte e independente, contribuiu para grandes revoluções da sua época. A primeira é que ela não quis se casar, sendo julgada por não seguir esse destino, já pré-estabelecido pela sociedade. A segunda grande revolução foi começar a se vestir com calças, isso para a época era algo inimaginável, porque somente homens podiam usá-las. Channel achava as saias desconfortáveis e, por gosto pessoal, se vestia com calça. Mais tarde, essa moda foi incorporada nas suas coleções. Ademais, Coco Channel revolucionou como empresária, ela queria trabalhar para ser independente e não precisar de ninguém.  Assim sendo, Coco abriu sua fábrica e empregou cerca de 300 operárias.

2. Simone Veil

Simone Veil é uma política francesa, ex-ministra da saúde, muito famosa por se posicionar a favor do aborto. Em 1974, quando foi abolida a criminalização do aborto, a lei levou seu nome “Lei Veil”. Logo após, ela foi responsável por defender, no final do mesmo ano, uma lei que legalizava a interrupção voluntária de gravidez na França. Além disso, Simone também foi a primeira mulher a presidir o parlamento europeu.

3. Olympe de Gouges

Olympe de Gouges escreveu a Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã, em 1791, em resposta à Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Dessa maneira, Gouges desafiou a diferença entre homens e mulheres que se instaurava nessa declaração vigente. Infelizmente, ela foi considerada uma traidora e executada em 1793.

Comenta aqui no site, você já conhecia alguma dessas mulheres e suas contribuições?

 

Comentários