O aumento da natalidade na França. Por que os franceses têm mais filhos que a maioria dos europeus?

A- A+

O aumento da natalidade na França. Por que os franceses têm mais filhos que a maioria dos europeus?

Enquanto alguns países tentam desenvolver políticas que motivem o aumento da natalidade, a França, apresenta um aumento desde o fim dos anos 90, aumento este que a coloca à frente de países católicos mais tradicionais, como a Itália, Portugal e Espanha.

A França anuncia orgulhosa e frequentemente o aumento da taxa de natalidade desde o fim dos anos 90, ou seja, 2,01 crianças por mulher em 2012, enquanto que a média europeia não ultrapassa 1,58. Este fenômeno intriga países como o Japão e a Coréia, que tentam em vão encontrar o segredo desta singularidade francesa.

Por que estas francesas ativas profissionalmente têm mais filhos que na maioria dos países industrializados?

Na Europa, os países católicos como Itália, Portugal e Espanha, sempre tiveram uma tradição de família numerosa, porém registraram uma grande queda (1,4 criança por mulher); A Alemanha, a Suíça, a Áustria e os países do antigo bloco comunista também não apresentam números elevados. Apenas os estados do Norte da Europa se aproximam da França (1,8 crianças por mulher).

Segundo o demógrafo Olivier Thévenot do Instituto Nacional de Estudos Demográficos (Ined), as políticas assistenciais são oferecidas justamente com objetivo de conciliar o trabalho com a vida familiar, benefícios como a licença maternidade que garante o retorno ao trabalho, e serviços de creche e escolas maternais, encorajam na decisão de procriar. Além disto, a França assim como os países escandinavos, promove uma concepção aberta de família, o que inclui crianças concebidas fora do casamento, famílias monoparentais ou recompostas, em que as mulheres são tão ativas quanto os homens “A flexibilidade das sociedades é um elemento muito importante, diz Laurent Toulemon, demógrafo do Ined. Se elas não conseguem adaptar suas tradições familiais ao novo contexto de igualdade entre homens e mulheres, isso causa uma recusa da maternidade.”

 

Taxa de natalidade ligada às condições de trabalho das mulheres

Parece que a taxa de natalidade está intimamente ligada às condições de trabalho das mulheres assim como à concepção de família sustentada em cada país. Enquanto houver uma política que obriga a mulher a escolher entre a maternidade e sua vida profissional, ou então uma concepção de família em que o homem tem menos responsabilidades que as mulheres na educação dos filhos, a escolha das mulheres é a recusa da maternidade ou a diminuição do número de filhos.

 

Comentários