Encontro com Tânia Magalhães : Diretora de Comunicação da Paypal para a América Latina

A- A+

Essa semana, entrevistamos Tânia Magalhães. Tânia não é conhecida do grande público, porém o percurso dela é muito interessante. Tânia Magalhães é brasileira, natural do Rio de Janeiro e é atualmente Diretora de Comunicação da Paypal para a América Latina. Ela nos contou seu percurso e deu dicas sobre como planejar eficientemente uma busca de emprego, principalmente em empresas multinacionais. No final, Tânia, também apaixonada por moda, dá algumas dicas de shopping e estilo. Boa leitura!

OMP. Bom dia, Tânia Magalhães. Tudo bem? Muito obrigada por ter aceito uma entrevista para O Melhor de Paris! Pode nos contar um pouco do seu percurso profissional ?

BR_logo_paypal

Tânia Magalhães. Eu sou profissional da área de comunicação empresarial há 20 anos, criando estratégias capazes de reforçar a boa reputação destas empresas frente aos seus públicos de interesse. Me formei em jornalismo e publicidade na PUC do Rio de Janeiro. Comecei a trabalhar como repórter para O Estado de São Paulo e, depois de passar por outras publicações, fui contratada por grandes empresas para atuar, então, na área de comunicação institucional. Trabalhei para a Hill & Knowltown Brasil, para a AT&T Latin America (companhia americana de telecomunicações, ndr) nas quais fui diretora de Relações Públicas, e para a Oracle (multinacional de tecnologia e informática, ndr), em que assumi a diretoria de Comunicação para a América Latina. Atuo desde janeiro de 2014 como diretora de Comunicação do Paypal América Latina, tendo criado o departamento responsável pelas comunicações internas e externas, o que inclui  relacionamento com imprensa e analistas, entre outras atividades. Estabeleci para o Paypal procedimentos de Relações Públicas assim como diretrizes de comunicação de crise. Na área de Comunicações fazemos um trabalho de branding em geral, não nos comunicamos somente com a imprensa, há outros stakeholders chave para os quais desenvolvemos programas, como consumidores, parceiros e desenvolvedores. No Paypal, implementamos uma estratégia de comunicação abrangente:  temos uma estratégia de comunicação horizontal, melhor dizendo, de massa, e também vertical, ou seja, para nos comunicarmos com públicos de diferentes verticais de negócios, como o turismo, o mundo fashion etc.

Qual é sua relação com a França?

Me formei em francês quando tinha vinte e poucos anos. Sempre gostei da língua francesa, da literatura e da cultura em particular. Viajei várias vezes à França e lá conheci meu marido, que é francês.  Estamos casados há 16 anos. Meus filhos são franco-brasileiros e eu tenho a cidadania francesa.

 

13921220659_b50ccf1758_h

Quais são os conselhos que daria às mulheres para conseguirem ocupar um cargo com responsabilidade numa multinacional?

Em primeiro lugar, que foquem na sua educação. Os estudos devem ser a prioridade. Depois, ter a boa metodologia para procurar um emprego que corresponda ao seu nível de formação também é primordial. Depois de atuar alguns anos na imprensa, decidi que era hora de partir para o mundo corporativo. Então, listei as empresas multinacionais que se adequavam ao meu perfil e nas quais eu poderia me candidatar.  Analisei em particular qual era o core business e a estratégia de cada uma no mercado. Depois, procurei na minha rede de contato quem poderia me ajudar a contatar essas empresas. E assim ingressei na área de Comunicação empresarial. Mas insisto no fato de que, primeiramente, é preciso esforço na educação e na formação. Por isso, a mulher tem que se diferenciar, dominar várias línguas, ter uma cultura geral, pois a concorrência é grande. Por outro lado, o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal é importante. Nós mulheres cuidamos de nossas equipes e famílias, mas precisamos também ter tempo para nós mesmas! Tudo com muita organização e paixão!

Segundo você, existe uma diferença no acesso aos cargos na área de comunicação para homens e mulheres?

Não creio. O que conta hoje é experiência, competência e atitude. Por exemplo, fui contratada grávida de quatro meses pela AT&T Latin America. Lembro também de um processo de seleção no qual participei que o VP de Recursos Humanos me disse que eu era o único perfil que se encaixava naquela posição, dentre muitos outros colegas do sexo masculino em outras posições de destaque.

Ouvi dizer que você gosta de misturar roupas baratas com acessórios de marca. É verdade?

Claro! (risos) É verdade sim. Gosto de misturar peças baratas com outras de marca, grifes internacionais com locais. Circulo nos shoppings mais tops, mas também conheço o Brás, em São Paulo; adoro garimpar, podemos encontrar coisas incríveis! Além disso, temos outlets bacanas na cidade. Creio que o estilo tem a ver com este “jogo de cintura”, não se pode ficar refém de vitrines e grifes. Mas, claro, uma mulher precisa saber o que lhe cai bem, conhecer seu corpo, seus pontos fracos e fortes. No mais, criatividade e moda andam juntas.

Você aconselharia algum lugar?

No Brás há shoppings incríveis, vá com as amigas, três ou quatro, pois a maioria das lojas vendem por atacado, e faça a festa! Amigas e compras tem tudo a ver! Quanto aos outlets, destaco o Catarina e o Estoque em  São Paulo.

BR_SP_noite

 

OMP. Mais uma vez, muito obrigada, Tânia, por essa entrevista. Foi um prazer poder saber mais sobre seu percurso, e além disso, ganhar umas dicas de shopping!

T.M. Foi um prazer para mim também, Amandine!

 

omp_amandine_paintPor Amandine Simoni para O Melhor de Paris

 

 

 

Comentários